DCC - UFMG
+55 31 3409 5860
ciia-saude@dcc.ufmg.br

Centro de Inovação em Inteligência Artificial para a Saúde é selecionado na chamada FAPESP – MCTIC – CGI.BR

O Centro de Inovação em Inteligência Artificial para a Saúde (CIIA-Saúde) foi selecionado, nesta terça-feira (04/05), para fazer parte de um seleto grupo que irá desenvolver pesquisas nas áreas de saúde, agronegócio, indústria e cidades inteligentes. O anúncio ocorreu durante o evento presidido pelo Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes.
A construção da proposta do CIIA-Saúde teve início ainda em 2019, a partir de articulações entre a UFMG (DCC e FM/HC) e o governo do Estado de Minas Gerais (vice-governadoria), que prospectaram a oportunidade junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e iniciaram as articulações com empresas. O governo de Minas Gerais também apoiou a construção da proposta por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig).
Lançado em 2020, o edital iria contemplar inicialmente quatro Centros, mas, segundo o Secretário de Empreendedorismo e Inovação, Paulo Alvim, ao final do processo, o apoio foi ampliado para outros Centros. “Para a nossa feliz surpresa a resposta foi muito superior a nossa expectativa. De uma ideia inicial de apoiarmos quatro estamos apoiando seis, pela qualidade das propostas, pelo mérito e pela competência dos grupos envolvidos”, afirmou. Já o Ministro Marcos Pontes ressaltou a importância da ciência para a sobrevivência da humanidade. “O Brasil não pode perder esse momento da história, nós temos todas as competências para sermos protagonistas no planeta com relação à Inteligência Artificial. Eu confio em nossa ciência, nos nossos pesquisadores, nos nossos cientistas, em nossos profissionais e jovens”, ressaltou.
De acordo com o edital, a partir de agora os Centros terão o prazo de cinco anos, renovável por mais cinco, para o desenvolvimento das pesquisas científicas, tecnológicas e de inovação, aplicadas e orientadas à resolução de problemas com a Inteligência Artificial, de acordo com os resultados mensurados.
O CIIA-Saúde tem por objetivo a pesquisa e o desenvolvimento de técnicas e soluções de Inteligência Artificial (IA) para habilitar e demonstrar o seu potencial. Assim, auxilia os indivíduos e pacientes no autocuidado, os médicos e profissionais de saúde no diagnóstico e tratamento das doenças e os gestores de saúde na programação de ações de prevenção e organização da assistência à saúde. Desta forma, otimiza recursos e melhora a saúde das pessoas e da população no Brasil.
As áreas de saúde do Centro estão estruturadas em cinco eixos fundamentais: prevenção e qualidade de vida; diagnóstico, prognóstico e rastreamento; medicina terapêutica e personalizada; sistemas de saúde e gestão; e epidemias e desastres. Associados aos eixos e desafios da saúde, o foco das pesquisas em IA concentram-se nas áreas da Ética e Valores Humanos, Modelos e Algoritmos, Gerenciamento e Engenharia de Dados e Sistemas Computacionais.
Os resultados esperados pelo CIIA-Saúde são agrupados em conclusão de pesquisa, de inovação e de formação de recursos humanos, incluindo a publicação de artigos científicos em periódicos e conferências nacionais e internacionais de prestígio. Além disso, do desenvolvimento de provas de conceito e protótipos de soluções junto às empresas e instituições de saúde, a transferência de tecnologia e know-how para o mercado, com o apoio da Coordenadoria de Transferência e Inovação Tecnológica (CTIT-UFMG) e a formação de doutores e mestres.
Ao mesmo tempo, há o planejamento de ações de educação e difusão do conhecimento para estudantes do ensino fundamental e médio, incluindo cursos de curta duração e vídeos educativos, e também curso de especialização de 360h para os profissionais da saúde e de curta duração para a população em geral. O Centro planeja, também, intensa atividade internacional, com a colaboração de pesquisadores e instituições de excelência em pesquisa avançada.
Com uma estrutura administrativa enxuta, o CIIA-Saúde será constituído pelo Conselho Diretor, pelo Comitê Científico Internacional, pelo Comitê Executivo, pela Coordenação Técnico-Científica e pela Secretaria Administrativa, além de contar com o apoio da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) da UFMG para o gerenciamento administrativo e financeiro.
Segundo Wagner Meira Júnior, chefe do Departamento de Ciência da Computação, o objetivo das propostas do CIIA-Saúde não é desenvolver algo que substitua os profissionais de saúde, mas que os empodere das novas tecnologias. “A nossa lógica é que o profissional de saúde, ciente e proficiente em Inteligência Artificial e utilizando essas tecnologias, vai fazer mais e melhor. Para isso, praticamente tudo que se refere à Inteligência Artificial tem que ser repensado para levar essas novas dimensões em consideração”, concluiu.


Chamada de Propostas FAPESP-MCTIC-CGI.BR

Cerimônia de Lançamento dos Centros de Inteligência Artificial

Divulgação do resultado pela FAPESP

Divulgação do resultado pelo MCTI


O que está na mídia: