DCC - UFMG
+55 31 3409 5860
ciia-saude@dcc.ufmg.br

Monica Viegas Andrade


Monica Viegas Andrade

Universidade Federal de Minas Gerais
Economia

Pesquisador associado





Informações resumidas do Currículo Lattes


Currículo Lattes atualizado em 27/04/2021

Nome em citações bibliográficas: Andrade, Monica Viegas.;Viegas, Monica;Andrade, Mônica;Mônica Viegas Andrade;VIEGAS ANDRADE, MÔNICA;ANDRADE, MÔNICA VIEGAS;ANDRADE, M. V.;ANDRADE, M.V.;ANDRADE, MONICA VIEGAS


Formação acadêmica

Doutorado em Economia na Escola de Pós Graduação Em Economia Fundação Getulio Vargas em 2000
Mestrado em Mestrado em Economia na Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional- UFMG em 1994
Graduado em Ciencias Economicas na Universidade Federal de Minas Gerais em 1990


Projetos de pesquisa em andamento

2020 a AtualAVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES COM LEISHMANIOSE
As leishmanioses são doenças negligenciada causadas por diferentes espécies de protozoários do gênero Leishmania e que se manifestam principalmente nas formas visceral (mais grave e letal) e cutânea (que pode gerar cicatrizes desfigurantes e estigmatizantes). Além da dificuldade de acesso ao diagnóstico e tratamento, o arsenal terapêutico para tratamento das leishmanioses ainda é muito restrito e relacionado a alta taxa de toxicidade, o que acarreta agravamento da morbidade da doença, com significativo impacto na qualidade de vida dos pacientes acometidos. A ?Qualidade de Vida (QV)? é um desfecho em saúde avaliado nas análises de custo-utilidade (ACU) que mede os Anos de Vida Ajustados pela Qualidade (AVAQ), por meio de diferentes instrumentos, possibilitando a comparação de diferentes tipos de desfechos e doenças. OBJETIVOS: Avaliar o impacto das várias formas clínicas de leishmaniose e do tratamento da doença na qualidade de vida de pacientes atendidos no Centro de Referência em Leishmaniose (CRL) do Instituto René Rachou (IRR) da Fundação Oswaldo Cruz em Minas Gerais (Fiocruz-Minas), por meio da aplicação do questionário genérico EQ5D, que atende ao requisito de simplicidade e de comparação entre populações e patologias distintas. MÉTODOS: Pacientes adultos e adolescentes com diagnóstico de leishmaniose durante um ano não epidêmico em serviço de referência em Belo Horizonte serão submetidos ao questionário EQ-5D-3L, questionário socioeconômico e ao Cutaneous leishmaniasis impact questionnaire (CLIQ), antes, durante e depois do tratamento para leishmaniose. RESULTADOS ESPERADOS: Espera-se reconhecer diferenças de impacto na qualidade de vida relacionadas às diversas formas clínicas de leishmaniose, características dos pacientes e tratamento realizado, o que poderia no futuro subsidiar intervenções em saúde pública, incluindo algoritmos terapêuticos, a fim de mitigar a morbidade gerada pela doença.
Integrantes: Mônica Viegas Andrade (coordenador), Kenya Noronha, Gláucia Fernandes Cota, Ana Lúcia Teles Rabello, Janaína de Pina Carvalho, Tália Santana Machado de Assis, Lúcia Franco Maciel, Endi Lanza Galvão.
2020 a AtualO Custo econômico da malária no Brasil
Comprehensive estimates that decompose the cost by different stakeholders, that consider inequities across geographies, and that account for productivity losses and other non-tangible costs are scarce, although frameworks for analysis of the economic costs of malaria have been proposed.The economic costs often fall into two categories: direct (treatment and control), and indirect (value of lost time due to morbidity or premature mortality). These costs drain on the health system, individuals, their households, and the broader community. Individual country- or region-level estimates of the economic cost of malaria often vary in several aspects: (i) types of costs considered, (ii) number of years of data used, (iii) choice of cost analysis perspective (provider or societal), (iv) geographical coverage, and (v) types of parasite considered. These differences are major impediments to comparing results across studies. In Brazil, the economic cost of malaria remains unknown. There is no estimate of the total cost, neither of the costs detailed by smaller geographic regions (to better capture spatial heterogeneities in transmission, and on how resources are spent. There is also a lack of estimates of decomposed costs of malaria control, surveillance, outbreak management, and prevention of reintroduction. Moreover, there is no estimate on the share of the costs that fall under the health system, the individual, or the community. This gap in knowledge is a major constraint to efforts towards optimizing strategic planning of local malaria control, resource allocation, cost-effectiveness analysis, sensitizing different audiences, and advocating for support. Here we propose to fill in this critical gap. Building upon our innovative work on dengue, we will develop a comprehensive framework to estimate the economic cost of malaria in Brazil and for each state, for the last 5 years, and detailed by parasite type. We consider the last five years to obtain estimates for scenarios of declining (before 2017) and increasing (after 2017) transmission. Regional considerations are important as Brazil has distinct epidemiological patterns of malaria transmission. Costs by parasite type are important because P. vivax has extra costs related to relapses, and to severe hemolysis in G6PD deficiency patients following treatment with primaquine, and because elimination goals in Brazil initially targeted P. falciparum. In summary, our proposed study will not only fill a knowledge gap but provide a comprehensive estimation of the economic cost of malaria that will generate inputs for the formulation of effective malaria control policies at both the national and local levels.
Integrantes: Mônica Viegas Andrade (coordenador), Kenya Noronha, MARCIA CASTRO, Bernardo Campolina Diniz, Gilvan Guedes.
2020 a AtualRede de serviços de média e alta complexidade hospitalar em Minas Gerais: uma avaliação da estrutura de oferta vis-à-vis a demanda realizada e não atendida no contexto da regionalização
Entre 1995 e 2016 o SUS realizou cerca de 11 milhões de internações anuais, o que representa 70% do total do cuidado hospitalar. Para garantir a eficiência e efetividade do gasto hospitalar, a organização do sistema deve considerar a presença de economias de escala e escopo. A organização descentralizada e hierarquizada proposta pelas diretrizes do SUS exige coordenação dos entes administrativos na alocação dos recursos hospitalares. Esse é um desafio para o país cuja configuração geopolítica é marcada por municípios de pequeno porte, que além de baixa escala populacional, apresentam reduzida capacidade técnica de gestão e escassez de recursos humanos e equipamentos. Para o planejamento da oferta é fundamental conhecer a estrutura de demanda atual e futura considerando as mudanças no perfil epidemiológico e as transformações tecnológicas na forma de provimento do cuidado hospitalar. Esse estudo propõe analisar a estrutura de demanda por serviços hospitalares segundo grupos etários e por diagnóstico, considerando a demanda atual realizada e simulação da demanda não atendida. Os resultados serão contrapostos à estrutura de oferta evidenciando as necessidades de reorganização da rede hospitalar em Minas Gerais. Particularmente será analisada a rede de urgência e emergência considerando as duas linhas de cuidado mais importantes, Infarto Agudo do Miocárdio e Acidente Vascular Cerebral. Essa análise irá contemplar o fluxo e encaminhamento dos pacientes na rede considerando a distância média percorrida e o tempo de espera como medida de efetividade do cuidado hospitalar. Devido à extensão territorial do Estado de Minas Gerais e a presença de municípios de menor porte, a distância média percorrida para obter atendimento hospitalar pode ser muito alta, sobretudo em localidades remotas. Dessa forma, a organização do encaminhamento dos pacientes em condições e tempo adequados para conter a evolução da doença é crucial.
Integrantes: Mônica Viegas Andrade (coordenador), Kenya Noronha, Cassio Turra, JULIA CALAZANS, LUCAS CARVALHO, Daniel Nogueira da Silva, GUEDES, GILVAN, SILVA, VALÉRIA ANDRADE.
2019 a AtualPoint-of-care measures for glycated hemoglobin in Brazilian primary health care
The proposed project will start in March 2019 and end in March 2020 (one year duration). It will be conducted in the Mucuri Valley, an underserved and remote area in the State of Minas Gerais, SouthEast Brazil, in where the HRTO program is running. The HRTO was conducted in Teófilo Otoni, a middle-size city that is a regional reference center, and 9 small and underserved municipalities, with human development index <0.6 and a population <20,000 inhabitants. Diabetes is a major health threat in Brazil and patients from underserved areas are particularly susceptible to inadequate control and higher frequency of complications. The main goal of the HRTO project (2016-2018) was to implement a multidimensional intervention, including extensive training of primary health care (PHC) teams, empowerment of patients through education, and improvements in health management. To accomplish this goal, we developed, tested and implemented two softwares for registration and clinical management of patients, both including a decision support system. The project identified 18,375 people of a target population of 43,304 (30-69 years). Screening for hypertension and diabetes was performed in 6,735 individuals. There are 1,028 diabetic subjects currently being monitored by the project. Of these, 358 (35%) have good diabetes control (HbA1c <8%). For the period of 2018-2020, the Ministry of Health is financially supporting the maintenance of the 34 points of care already established. In the last year, in a supplementary project, we were able to test the accuracy and the feasibility of use of a Point-of-Care (POC) device for measuring glycated hemoglobin (HbA1c) in the primary care setting, being able to demonstrate both the accuracy and usability. The present project intends to expand the use of the POC HbA1c for all municipalities of the project, making possible to improve the control for diabetes in all the territory covered by the HRTO program. The target population includes the diabetic individuals already monitored by the HealthRise Brasil program (1,000 patients) and we expect to train 80 health professionals on the use of the POC device, including medical doctors, nurses and community health workers.
Integrantes: Mônica Viegas Andrade (coordenador), Kenya Noronha, Antonio Luiz P. Ribeiro, Michelle Nepomuceno Souza, Andre Soares Santos, JUNIA XAVIER.
2018 a AtualValoração dos danos materiais e de perdas imateriais levantados no Processo de Cadastramento dos Atingidos e Atingidas pela Barragem de Fundão no âmbito da Ação Civil Pública
Em 2015 Minas Gerais vivenciou a maior tragédia ambiental e humana dos últimos anos com o rompimento da Barragem de Fundão da Samarco. Esse rompimento causou a destruição de várias comunidades devido a invasão da lama nessas localidades. Como consequencia várias familias foram vitimadas com perdas fundamentais tangíveis e intangíveis. Esse trabalho se propõe a realizar a valoração monetária das perdas associadas à saúde das famílias atingidas em 08 comunidades de Mariana. Essa valoração irá subsidiar a decisão judicial acerca da indenização das famílias. O trabalho é realizado em parceria com a Caritas Brasil, regional Minas Gerais, que é a instituição que tem promovido assessoria técnica e jurídica para as famílias. Especificamente, o trabalho consiste em valorar os itens da Matriz de Danos proposta pela Caritas/Mariana. Essa matriz de danos foi construída a partir de um cadastro de todas as famílias atingidas em 08 comunidades de Mariana. Os danos foram classificados em quatro grandes áreas de danos: bens materiais, de saúde, culturais e ambientais. Esse projeto refere-se às perdas em saúde. O estado de saúde, assim como os bens ambientais, não é transacionável no mercado uma vez que a vida não é considerada uma mercadoria (ARROW, 1963). Essa ausência de mercado resulta na inexistência de preços observáveis tanto para o valor da vida como para o valor do estado de saúde. Dessa forma, a valoração econômica das perdas associadas à saúde tem como principal desafio atribuir um valor monetário à vida. Do ponto de vista individual, o valor da vida é sempre infinito. Essa definição, entretanto, não auxilia na tomada de decisão de alocação de recursos para políticas de saúde tampouco na indenização de mortes e perdas de saúde associadas a desastres ou acidentes. Alguns métodos permitem estimar indiretamente esse valor. Esses métodos indiretos buscam aferir as preferências dos indivíduos por estados de saúde investigando o valor monetário atribuído a mudanças entre esses estados ou risco de morte. As abordagens mais utilizadas são: capital humano, preferência revelada (dividida em estudos sobre segurança ocupacional e não ocupacional) e valoração contingente (AKASHAH; MARKS, 2006; HIRTH et al., 2000; SHIROIWA et al., 2010). Nesse estudo, serão aferidos três tipos de perdas associadas a saúde: 1) perdas relativas ao estado de saúde considerando as mudanças percebidas na qualidade de vida dos residentes em Mariana; 2) perdas relativas ao estado de saúde associadas a ocorrência de internações hospitalares por causas específicas relacionadas ao acidente da SAMARCO; 3) perdas decorrentes das mortes ocorridas nas famílias residentes em Mariana devido ao acidente da SAMARCO. Para a mensuração dessas perdas será necessário realizar uma pesquisa de campo para aferir mudanças no estado de saúde e na utilização de serviços. A valoração das perdas devido a mudanças na qualidade de vida relacionada a saúde será realizada com base no EQ-5D. Esse instrumento é difundido internacionalmente sendo a métrica mais utilizada para obter mensurações do estado de saúde global da população. Os questionários irão investigar a situação de saúde dos residentes antes e depois do acidente. O número de famílias investigadas deve ser pelo menos representativo da população residente nas comunidades atingidas. Além da perda de qualidade de vida associada a saúde, serão estimadas as perdas decorrentes dos eventos de internação hospitalar ocorridos devido a doenças provocadas pelo acidente da Samarco. Como base nesses eventos, serão mensurados o absenteísmo ao trabalho do paciente e do acompanhante, os custos de transporte, alimentação e custos associados a internação.
Integrantes: Bernardo Campolina Diniz (coordenador), Mônica Viegas Andrade, Kenya Noronha, Gilvan Guedes.
2018 a AtualAnálise da utilização de serviços médicos pelos Beneficiários da Unimed-BH
Uma das particularidades presentes no mercado de bens e serviços de saúde diz respeito à assimetria informacional que determina problemas associados a seleção adversa, risco moral e indução de demanda. O provimento de serviços de atenção à saúde através do seguro pleno cria incentivos à sobreutilização dos serviços médicos pelos pacientes, pois, neste caso, o custo marginal do serviço demandado é zero. A fim de racionalizar o uso dos serviços médicos, tradicionalmente, são propostos sistemas de divisão de custos com os beneficiários, sendo os principais mecanismos utilizados as franquias, limites de dispêndio, copagamentos e cosseguros. O objetivo dessa pesquisa é avaliar o impacto da coparticipação como fator moderador do consumo de serviços de saúde na carteira de beneficiários da UNIMED-BH.
Integrantes: Mônica Viegas Andrade (coordenador), Kenya Noronha.
2018 a AtualParceria trabalho estabelecida entre o Grupo de Estudos em Economia da Saúde do CEDEPLAR/UFMG e o NATS-HC.
Estabelecer um grupo técnico capaz de realizar estudos na área de Avaliação de Tecnologias em Saúde com vistas a subsidiar as decisões de incorporação tecnológica no Hospital das Clínicas no âmbito da Comissão de Controle de Qualidade de Materiais (CCQM).
Integrantes: Mônica Viegas Andrade (coordenador), Kenya Noronha, Jose Luiz Nogueira, Flavia Colares, Andre Soares Santos.
2018 a AtualMudanças Regulatórias no Setor de Saúde Suplementar: O Brasil está preparado para o cenário atual de Transformações?
O setor privado desempenha papel fundamental no sistema de saúde brasileiro tanto no provimento de bens e serviços como no financiamento. Uma preocupação recorrente em países com sistema misto como o Brasil, diz respeito à determinação dos preços dos bens e serviços de saúde que nem sempre é conhecida. Em países com sistemas públicos ou sistemas nacionais de saúde, em geral, tanto os preços dos bens e serviços de saúde como a oferta desses serviços são fortemente regulados pelo governo direta ou indiretamente. Além disso, como o governo, na maior parte das vezes, é o principal pagador, esse tem elevado poder de barganha, podendo determinar uma lógica de preços administrados. A dificuldade, no caso de mercados privados, decorre da forte presença de falhas de mercado e assimetrias informacionais que tornam esse mecanismo ineficiente para determinar os preços. Para além dos problemas de assimetria informacional que resultam em problemas de risco moral, seleção adversa e problemas de agencia, a função de produção de grande parte dos serviços de saúde também apresenta presença de economias de escala e escopo e externalidades, não se observando, portanto, estrutura de mercado competitiva. No Brasil o setor privado é responsável por grande parte da oferta de serviços de saúde, inclusive por parte dos serviços financiados pelo governo. A despeito dessa relevância, não existe, por parte do governo, um acompanhamento e controle dos preços praticados no sistema privado. A única regulação de preços existente é realizada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar ? ANS, mas abrange somente o reajuste dos planos privados individuais. Nesse caso a ANS determina o reajuste dos planos individuais a partir do valor médio dos reajustes observados no setor de planos coletivos. Esse mecanismo regulatório pressupõe estrutura competitiva no mercado de planos coletivos e homogeneidade dos dois produtos. Atualmente, o único indicador, proxy para variação de preços, disponível no Brasil é o índice de Variação de Custos Médico-Hospitalares (VCMH) calculado pelo próprio setor de saúde suplementar. Este índice, além de ser calculado pelo próprio setor, representa a variação anual da despesa nominal realizada no setor de saúde suplementar para um grupo de operadoras específico, não se configurando, portanto, como um índice de preços propriamente dito. O comportamento do VCMH tem sugerido variação importante na despesa no setor de saúde suplementar nos últimos anos. O presente projeto tem como objetivo entender quais são os padrões que determinam a variação dos preços dos procedimentos hospitalares no setor de saúde suplementar. Especificamente vamos analisar as diferenças observadas nos preços desses procedimentos em diferentes mercados hospitalares no Brasil e estabelecer em que medida a estrutura do mercado hospitalar e do mercado de operadoras são determinantes importantes para explicar as diferenças observadas nos preços dos procedimentos hospitalares no Brasil. Para tanto, pretendemos utilizar os dados das transações entre operadoras de planos de saúde e prestadores de serviços médico-hospitalares disponibilizados recentemente pela ANS.
Integrantes: Mônica Viegas Andrade (coordenador), Rafaela Nogueira, Leticia Nunes, Carolina Marinho, Flavia Colares.
2016 a AtualESTIMATION OF THE SOCIAL AND ECONOMIC BURDENS OF DENGUE AND ZIKA VIRUS IN BRAZIL: A PUBLIC POLICY TOOL
Rapid and unplanned urbanization, global trade and travel, and environmental changes have created a world extraordinarily well suited to Aedes aegypti mosquitoes and thus to transmission of dengue virus, chikungunya, and Zika Virus (ZIKV), particularly in tropical and subtropical regions. Currently, more than half of the global population lives in areas with risk of dengue transmission, and ZIKV is spreading fast. With no specific drugs for treatment and with vector-control efforts unable to curb disease expansion, the burden is daunting.The epidemiological characteristics of dengue and ZIKV result in considerable social and economic burdens [1-4]. Quantifying these burdens is critical for policy makers to set priorities, allocate resources, select control/prevention strategies, and evaluate the cost-effectiveness of interventions [5,6]. Coupled with burden estimates, mathematical models can be used to simulate the outcomes of different combinations of interventions, aiding decision making.The economic and social burden can be conceptualized in terms of the costs imposed on individuals and society by actual and threatened dengue and ZIKV infections, including costs directly or indirectly associated with the diagnosis, treatment, outcome (e.g., death, neurological consequences), and prevention. We proposed a framework [7] to summarize these costs into four domains?illness, surveillance and reporting, control and preventive actions, and outbreak management [6]?identifying the different stakeholders that incur these costs?the government or a private insurer, the individual and/or the household, and society as a whole. Here, outbreak refers to disease introduction in areas with no previously reported cases or a significant increase in the number of cases (two standard deviations above the mean of the past 3-5 years) [8]. Decomposing the cost estimate by who bears the burden sensitizes both the government, which must identify the best control strategies; the community, who must engage in control and preventive efforts to avoid proliferation of mosquito-breeding habitats; and the private sector, who may get a significant return on their own business by investing in disease control. Also, considering a time series of data is crucial to capture the common cyclical pattern of transmission, facilitating the calculation of the burden both during endemic and epidemic periods [5,6,9,10]. Failure to obtain data for multiple years is likely to over- or underestimate the burden, depending on the epidemiological characteristics of the year(s) analyzed.Few studies have addressed the burden of dengue in Brazil, none with national representation detailed by subnational-level units [11-13], and there are no estimations of the burden of ZIKV. As a result, there is no comprehensive analysis of burden and thus no detailed simulation of scenarios of interventions that can aid the Ministry of Health in choosing and prioritizing strategies to control the diseases, and no mechanism to advocate for support from other sectors (government and private). In this context, the government remains constrained to traditional control policies, despite their limited effectiveness.Here we propose to fill in this crucial gap. Utilizing a comprehensive framework of types of cost [7], and a societal perspective [8], we will estimate the social and economic burdens of dengue and ZIKV in Brazil, detailed by state level, for a 5-year period (at minimum). We will leverage the large amount of data freely available through governmental agencies, and the fact that additional data can be obtained through a data access law instituted by Brazil in 2011 [14]. When data are not at all available, we will make assumptions based on literature review or expert opinion.
Integrantes: MARCIA CASTRO (coordenador), Mônica Viegas Andrade, JULIA CALAZANS, LUCAS CARVALHO.

Projetos de desenvolvimento em andamento

Veja todos os projetos no Currículo Lattes

Últimas publicações

Artigos em periódicos

Medical adhesive-related skin injuries in the neonatology department of a teaching hospital
2021. Nursing in Critical Care.
Capacidade institucional dos serviços de saúde antes, durante e após a implantação do Modelo de Atenção às Condições Crônicas (MACC)
2021. REVISTA ELETRÔNICA ACERVO EM SAÚDE.
Financiamento público da saúde nos municípios brasileiros: análise da qualidade dos registros declarados ao SIOPS de 2002 a 2014 para a Atenção Básica
2021. PLANEJAMENTO E POLITICAS PUBLICAS.
Rotational thromboelastometry in the perioperative period of cardiac surgeries: cost-effectiveness analysis and budget impact
2020. JORNAL BRASILEIRO DE ECONOMIA DA SAÚDE.
Os primeiros 80 dias da pandemia da COVID-19 em Belo Horizonte: da contenção à flexibilização
2020. Nova Economia (UFMG).
Pandemia por COVID-19 no Brasil: análise da demanda e da oferta de leitos hospitalares e equipamentos de ventilação assistida segundo diferentes cenários
2020. CADERNOS DE SAÚDE PÚBLICA.
Brazilian hospitals? performance: an assessment of the unified health system (SUS)
2020. Health Care Management Science.
Benefícios da autotransfusão intraoperatória para pacientes submetidos a cirurgias cardíacas: uma revisão sistemática
2020. JORNAL DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA E FARMACOECONOMIA-JAFF.
COST-EFFECTIVENESS AND PRICE OF ARIPIPRAZOLE FOR SCHIZOPHRENIA IN THE BRAZILIAN PUBLIC HEALTH SYSTEM
2020. The Journal of Mental Health Policy and Economics.
Perfil dos Hospitais Gerais do Sistema Único de Saúde'
2020. REVISTA DE SAÚDE PÚBLICA (ONLINE).
Ex-ante moral hazard: empirical evidence for private health insurance in Brazil
2019. Nova Economia (UFMG).
Brazil's unified health system: the first 30 years and prospects for the future
2019. LANCET.
Challenges and lessons from a primary care intervention in a Brazilian municipality
2019. REVISTA DE SAÚDE PÚBLICA (ONLINE).
THE PRICE OF SUBSTITUTE TECHNOLOGIES
2019. VALUE IN HEALTH REGIONAL ISSUES (PRINT).
Routine use of viscoelastic blood tests for diagnosis and treatment of coagulopathic bleeding in cardiac surgery. Response to Br J Anaesth 2017; 118: 823-33
2019. BRITISH JOURNAL OF ANAESTHESIA.
Colangiopancreatografia retrógrada endoscópica para cálculos no ducto biliar comum: overview de revisões sistemáticas e estudos econômicos
2019. JORNAL BRASILEIRO DE ECONOMIA DA SAÚDE.
SILICONE TAPE VERSUS MICROPORE TAPE TO PREVENT MEDICAL ADHESIVE-RELATED SKIN INJURIES: systematic review and meta-analysis
2019. JORNAL BRASILEIRO DE ECONOMIA DA SAÚDE.
Análise da linha de cuidado para pacientes com diabetes mellitus e hipertensão arterial: a experiência de um município de pequeno porte no Brasil
2019. REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS DE POPULAÇÃO (IMPRESSO).
Brazil’s Family Health Strategy: factors associated with programme uptake and coverage expansion over 15 years (1998-2012)
2018. Health Policy and Planning.
Electronic Version of the EQ-5D Quality-of-Life Questionnaire: Adaptation to a Brazilian Population Sample
2018. VALUE IN HEALTH REGIONAL ISSUES (PRINT).
Transition to universal primary health care coverage in Brazil: Analysis of uptake and expansion patterns of Brazil?s Family Health Strategy (1998-2012)
2018. PLoS One.
Evaluation of Factors Affecting Medical Tourism Development in Iran Using Structural Equation Modeling (SEM).
2018. Iranian Journal of Economic Studies.
Family health strategy and equity in prenatal care: a population based cross-sectional study in Minas Gerais, Brazil
2017. International Journal for Equity in Health (Online).
COMPARAÇÃO DE MÉTODOS DE VALORAÇÃO DE PREFERÊNCIAS SOCIAIS POR ESTADOS DE SAÚDE
2016. Pesquisa e Planejamento Econômico (Rio de Janeiro).
Societal Preferences for EQ-5D Health States from a Brazilian Population Survey
2013. Value in Health Regional Issues.
MERCADOS E CONCENTRAÇÃO NO SETOR SUPLEMENTAR DE PLANOS E SEGUROS SAÚDE NO BRASIL#
2012. Pesquisa e Planejamento Econômico (Rio de Janeiro).
Antenatal care use in Brazil and India: Scale, outreach and socioeconomic inequality
2012. Health and Place.

Trabalhos completos em congressos

REGIONAL IMPACTS OF FUTURE CLIMATE CHANGE ON HEALTH AND LABOR IN BRAZIL
2018. 46 Encontro Nacional da Anpec.
Regional Impacts of Climate Change on Health and Labor in Brazil.
2017. 28th International Population Conference of the International Union for the Scientific Study of Population (IUSSP),.
The reach and limitations of medication treatment adherence for hypertension control among patients of the Family Health Strategy: a case study for a midsize city in Brazil
2017. 28th International Population Conference of the International Union for the Scientific Study of Population (IUSSP).
The Evaluation of the LAB of Chronic Conditions Care (LIACC) in the Municipality of Santo Antônio Do Monte, Brazil
2016. 2016 Population American Association Meeting.
Características demográficas e socioeconômicas podem influenciar a valoração dos estados de saúde em Minas Gerais?
2014. XVI Seminário sobre a Economia Minaira. 4

Resumos expandidos em congressos


Resumos em congressos

COST-EFFECTIVENESS AND INCORPORATION PRICE OF ARIPIPRAZOL FOR SCHIZOPHRENIA IN BRAZIL: a substitute technology approach
2019. ISPOR Latin America 2019.
O PREÇO DE TECNOLOGIAS SUBSTITUTAS: o caso do aripiprazol para esquizofrenia
2019. VII Fórum Brasileiro de Assistência Farmacêutica e Farmacoeconomia.
WHICH ARE THE MOST COMMON QUALITY OF LIFE HEALTH STATES IN LATIN AMERICA? A PARETO ANALYSIS OF A COLLABORATIVE PROJECT USING EUROQOL EQ-5D IN ARGENTINA, BRAZIL, CHILE AND URUGUAY
2017. 6ª Conferência ISPOR Latin America.
States Selection on the Valuation of EQ-5D-3L. Brazilian study
2014. Isoqol 21st ISOQOL Annual Conference.
Non-Trading Response on Time Trade-Off Responses: Individual ́s Values or Logic Violation?
2014. Isoqol 21st ISOQOL Annual Conference.

Veja todas as publicações no Currículo Lattes

Orientações em andamento

Mestrado

Flávia Colares. CUSTEIO DE PROCEDIMENTOS MÉDICO-HOSPITALARES NA REDE PÚBLICA DE BELO HORIZONTE: aplicação do método Time-Driven Activity-Based Costing. Início: 2021. Universidade Federal de Minas Gerais (Orientador principal)
Wallace Santos Costa. RESSARCIMENTO AO SUS: perfil de utilização dos serviços públicos por beneficiários de planos de saúde entre as unidade da federação. Início: 2021. Universidade Federal de Minas Gerais (Orientador principal)

Doutorado

Lucas Resende de Carvalho. Efetividade do Lira no combate e controle da dengue no município de Pedro Leopoldo, Minas Gerais. Início: 2018. Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Orientador principal)

Veja todas as orientações no Currículo Lattes